A Mulher Que Virou Planta

Peça teatral

Digamos que uma mulher para. E ela para sem se sentir “em falta” com ninguém ou com nada. Não quer se recortar do fluxo do mundo, da seiva da vida. Simplesmente parar. Parada, ela pode, porque gente, continuar a andar, a dançar, gozar, comer, cantar. Mas, como poderia ser viver a vida através dessa paragem?

A Mulher Que Virou Planta é um solo performado por Bruna Trindade, que se inspira no livro A Vida das Plantas: uma metafísica da mistura, do filósofo italiano Emanuele Coccia. A peça convida o espectador a uma experiência de imersão na radicalidade que é estar-no-mundo planta, se propondo a traduzir uma forma de pensamento através dos recursos da arte teatral.

atuação e pesquisa: Bruna Trindadeencenação: Vitor Medeirosdireção artística: Tatiana Motta Limaroteiro: Bruna Trindade e Vitor Medeiros assistência de direção e preparação corporal: Renata Asato figurino: Mayra Terra iluminação: Ricardo Rocha cenário: Bruna Trindade música: Bianca Godoi designer: Wolmin Dahgrota fotografia: Paula Monte, Jocimar Dias Jr. e José Palandi arte do programa: Cacá Fonseca e Vitor Medeirosprodução: Bruna Trindade produção de temporada: Sérgio Magranerrealização: Grupo Lacuna e Hanimais Hestranhosco-realização: Ritorneloapoios: Rampa, Lugar de Criação, Papel Semente, Tupiniquim, Cumpades, Culturas Vivas Dahgrota Arte e Design.

Agosto, Setembro e Novembro de 2019 no Rampa, Lugar de Criação

Novembro de 2019 no Festival Corpos Críticos.

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Fotos de Paula Monte
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Fotos de Jocimar Dias Jr.